quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

10 CONSELHOS QUE RECEBEMOS ANTES DE VIR PARA ESTE PLANETA

Autoria desconhecida

1) Você receberá um corpo. Poderá amá-lo ou odiá-lo, mas ele será seu todo o tempo.

2) Você aprenderá lições. Você está matriculado numa escola informal de tempo integral chamada Vida. A cada dia, terá oportunidade de aprender lições. Você poderá amá-las ou considerá-las idiotas e irrelevantes.

3) Não há erros, apenas lições. O crescimento é um processo de ensaio e erro, de experimentação. Os experimentos 'mal sucedidos' são parte do processo, assim como experimentos que, em última análise, funcionam.

4) Cada lição é repetida até ser aprendida. Ela será apresentada à você sob várias formas. Quando você a tiver aprendido, passará para a próxima.

5) Aprender lições é uma tarefa sem fim. Não há nenhuma parte da vida que não contenha lições. Se você está vivo, há lições a serem aprendidas e ensinadas.

6) 'Lá' só será melhor que 'aqui'. Quando o seu 'lá' se tornar um'aqui', você simplesmente terá um outro 'lá' que novamente parecerá melhor que 'aqui'.

7) Os outros são apenas espelhos de você. Você não pode amar ou odiar alguma coisa em outra pessoa, a menos que ela reflita algo que você ame ou deteste em você mesmo.

8) O que você faz da sua vida é problema seu. Você tem todas as ferramentas e recursos de que precisa. O que você faz com eles não é da conta de ninguém. A escolha é sua.

9) As respostas para as questões da vida estão dentro de você. Você só precisa olhar, ouvir e confiar.

10) Você se esquecerá de tudo isso.. e ainda assim, você se lembrará disso.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

QUAL A ESCOLHA CERTA?


Um homem estava se contorcendo para resolver uma questão. Não sabia o que escolher em sua vida. Estava em dúvida se continuava investindo em seu trabalho atual, que lhe rendia pouco, ou se tentava outra carreira. À noite, orou fervorosamente a Deus e pediu que os anjos iluminassem seu caminho para que pudesse tomar boas decisões.

Após adormecer começou a ter um sonho que lhe parecia bem real. Involuntariamente viajou para uma região celeste e se deu conta de que estava na presença de um anjo com uma luz maravilhosamente bela e amorosa. O anjo disse:

- Suas preces foram atendidas. Você orou a Deus pedindo que lhe ajudasse a fazer boas escolhas. Mas precisas saber que na vida há uma escolha fundamental, que ajuda decisivamente em todas as outras, e é isso que procurarei te mostrar agora, com a sua permissão. Aceitas submeter-se a uma prova a fim de verificar se estas pronto para uma escolha muito importante?

O homem ainda estava um pouco mexido com tudo aquilo. No entanto, sentiu um halo de amor e paz que emanava do anjo, confiou nele e decidiu aceitar o desafio proposto.

- Pois bem, disse o anjo. Que a prova comece!

Tão logo o anjo terminou de proferir estas palavras, abriu-se a frente do homem uma estrada de terra. O homem entendeu que deveria seguir por aquele caminho e ver o que acontecia.

De repente, ele se depara com uma bifurcação no caminho, parecida com um Y.

Ambos os caminhos parecem não levar a lugar algum e se perdem no infinito. Ele começa então a seguir por uma das estradas. Nesse caminho, ele percebe que as pessoas vêm ao seu auxílio, tudo lhe parece mais agradável e as coisas lhe são oferecidas de forma mais sedutora, sem que seja necessário um maior esforço da parte dele.

Ele começa então a percorrer o outro caminho. Ao contrário do caminho anterior, neste outro tudo lhe parece mais difícil, ele precisa se esforçar para conseguir as coisas, as pessoas já não vêm em seu auxílio e não há qualquer facilidade. No entanto, neste caminho ele enxerga as coisas de forma mais nítida e clara, e tem uma forte impressão de ser mais ele mesmo. Ainda neste caminho, não há tentações, as coisas são mais difíceis e exigem uma atitude firme da parte dele.

Ao se deparar com o fim dos dois caminhos, nada parece existir ali, não há coisa alguma. Ele então vê as duas opções e sente que precisa tomar logo uma decisão, uma escolha definitiva por um dos caminhos.

Por que não seguir o caminho que lhe pareceu mais fácil, já que nada parece existir no final das estradas? Por outro lado, no outro caminho, apesar de tudo ser mais difícil inicialmente, ele consegue ser mais ele mesmo e perceber as coisas com mais clareza. Então, qual dos dois escolher? O caminho mais cômodo, ou o caminho mais árduo, porém onde tudo é mais claro externa e internamente?

O homem finalmente decide seguir pelo caminho menos cômodo, onde tudo é inicialmente mais difícil, mas tudo lhe parece mais claro e verdadeiro. Assim que dá o primeiro passo no caminho escolhido, ele se vê novamente no início da jornada, e novamente na presença do anjo. O anjo então diz:

- Você obteve sucesso nesta prova! Escolheste o caminho real, que leva mais rápida e diretamente a meta suprema. O caminho onde tudo era fácil, cômodo, em que todos viam ao seu auxílio, é o caminho daqueles que cedem as tentações da vida, escolhem o caminho de maior conforto, onde tudo é consolador, estável, mas tudo é ilusório e não há esforço pessoal. O outro caminho, ao contrário, tudo é árduo, pesado, difícil de início, mas ao mesmo tempo é mais claro e estamos mais lúcidos a respeito das coisas. No primeiro caminho, tudo é mais fácil de início, mas depois se torna mais difícil. O outro caminho; a estrada real, é o contrário; tudo é mais pesado e exige grande esforço, mas depois se torna mais fácil. É muito comum se cair na tentação de seguir o primeiro caminho, do comodismo e da ilusão. Esse é o caminho que uma boa parcela da humanidade opta em seguir.

O homem ouve tudo com muita atenção e percebe que está descobrindo uma grande verdade ali, naquele momento. O anjo continua.

- O primeiro caminho, que tu não escolheste, é o caminho daquele que, por exemplo, prefere passar por cima dos outros, angariar facilidades, fazer negociatas; ser indicado a um cargo ao invés de merecê-lo; colar na prova ao invés de estudar; comprar o diploma ao invés de seguir numa faculdade séria; permanecer num casamento que já terminou por que é mais cômodo para ela e os filhos; ou a mulher que se arranja com um homem rico que lhe dará todo conforto material; ou a mulher obesa que precisa fazer dieta pela sua saúde, mas pensa que mais um docinho na festa “não fará diferença”; ou como o fumante que precisa largar o vício, mas pensa sempre em terminar o “último maço”; ou como o político que desvia verba ao invés de lutar por justiça social; ou o advogado que defende clientes comprovadamente culpados a fim de torná-los inocentes, ou o pobre que envereda pelo caminho do crime, do tráfico de drogas e ganha muito dinheiro inicialmente, mas depois é assassinado ou passa o resto da vida estressado e infeliz; ou ainda o funcionário que percebe patentes ilícitos em sua empresa e lhe é pedido que “feche os olhos” para tudo isso, pois seu salário é alto e ele consegue ter uma vida material bem estável. Aqui está a resposta que pediste às tuas indecisões sobre qual caminho seguir. Uma das escolhas mais importantes, se não for a mais importante, é esta que fizeste. Todas as outras são um resultado dessa escolha fundamental na vida dos seres humanos.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

O PODER DE UNIR


Um rei muito poderoso havia acabado de vencer uma batalha muito importante, e havia expandido muito seu reino. Ele era agora, provavelmente, o monarca com o maior exército do mundo. Seu poder era vasto e bem difícil de ser derrotado.

Crendo que seu poder havia atingido o auge, resolveu procurar um sábio que, diziam, era um homem inigualável. Viajou alguns dias com a guarda real, chegando finalmente a um pequeno vilarejo onde o sábio morava. O rei desceu do seu cavalo, foi falar diretamente com este homem que muitos consideravam um santo. Assim que encontrou o sábio, disse:

- Você deve ser o sábio homem que mora nestas paragens. Sou o rei de todas estas terras, e acabei de conquistar muitos outros reinos. Meu exército é o maior do mundo e nunca foi derrotado. Tenho o poder total sobre qualquer pessoa, e bastando apenas uma ordem minha, posso tudo destruir. Gostaria de saber de tu, ó venerável, se há algo que não esteja dentro do meu poder. Quero saber a verdade que tens a me dizer, seja ela qual for.

O sábio olhou para o rei e falou:

- Está bem. Observe aquelas duas pessoas próximas ao estábulo, uma a direita e outra a esquerda. São duas pessoas que se amam, mas que tiveram uma briga muito grave recentemente. Vá até eles, sem mencionar que é o rei, e tente conciliar ambos.

O rei foi conversar com eles, falou, argumentou, insistiu bastante, mas não obteve qualquer tipo de resposta positiva. Voltou ao sábio e confessou que não conseguira conciliar o antigo casal.

- Espero um pouco, disse o sábio.

O sábio dirigiu-se até eles, conversou tranquilamente com ambos, e pouco mais de meia hora depois, o homem e a mulher se abraçaram e se perdoaram das brigas que os mantinha separados.

O sábio voltou e disse ao rei:

- O verdadeiro poder de um homem não está em destruir, em separar, mas em conseguir unir as pessoas em torno de algo em comum. E o que mais nos une são o amor e a sabedoria. Este é o maior poder que alguém pode alcançar em relação a outras pessoas.


domingo, 17 de fevereiro de 2013

Plano de Ensino de Introdução à Filosofia - Curso de Direito - UNIOESTE / MCR



UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ

PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO



PLANO DE ENSINO - PERÍODO LETIVO/ANO  2013
ANO DO CURSO     

Curso: Direito         Modalidade: Bacharelado     Turno: Matutino

Centro:  Centro de Ciências Sociais Aplicadas

Campus: Marechal Cândido Rondon

Disciplina


Código
Nome
Carga horária

AT1

AP2
APS3
Total

4226
Introdução à Filosofia
68


68

(1 Aula Teórica;   2 Aula Prática;  3 Atividade Prática Supervisionada)

Docente:
Prof. Ms. Celito De Bona

Ementa

(Constante no PPP vigente)
Especificidade da Filosofia: Origem, Conceitos, Problemas e Temas Relevantes do Discurso Filosófico – Questões Fundamentais da Filosofia: Epistemológicas, Antropológicas, Ontológicas, Éticas.

Objetivos

a) Analisar noções fundamentais da epistemologia do conhecimento;
b) Situar o saber jurídico na produção do conhecimento cultural;
c) Demonstrar a relação entre filosofia e normatização;
d) Discutir as principais tendências filosóficas contemporâneas do direito.

Conteúdo Programático

I – FILOSOFIA DO CONHECIMENTO
1.    A filosofia grega e a questão da verdade
  1. O direito e a construção de regras de expressão da verdade
  2. As regras do contrato social
  3. O cidadão e a impossibilidade de ignorância da lei
  4. A Opacidade do Direito

II – O CONHECIMENTO FORA DA FILOSOFIA
  1. Saber cotidiano
  2. Práticas delituosas
  3. Sujeito social, sujeito de direitos, sujeitos leitores
  4. Novos saberes, saberes rebeldes

III – CULTURA CRISTÃ
  1. O poder vem do céu;
  2. Os primeiros cristãos;
  3. Cristianismo árabe;
  4. A monarquia celeste;
  5. Medievalismo do pensamento;
  6. Direito canônico; tortura, confissão, Santa Inquisição.


IV – PENSAMENTO MODERNO
  1. Thomas Morus – a economia
  2. Martinho Lutero – a fé
  3. René Descartes – método para as ciencias
  4. Hobbes e Locke – a propriedade como liberdade
  5. Beccaria – a pena justa
  6. Emanuel Kant- conhecimento e utilidade

V – FILOSOFIA CONTEMPORÂNEA
  1. Hegel – a liberdade do Estado
  2. Friedrich Nietzsche – a liberdade do sujeito
  3. Michel Foucault – liberdade e poder
  4. Miguel Reale – uma liberdade tridimensional
  5. Michel de Certeau – o cotidiano como momentos de fazer e conhecer


Atividades Práticas – grupos de ........ alunos


 

Atividades Práticas Supervisionadas – grupos de ........ alunos


Metodologia

a)Pressuposto Metodológico:
O desenvolvimento da disciplina, seu corpo teórico, as fontes que serão utilizadas bem como as estratégias de ensino estarão voltadas para despertar no aluno a percepção do lugar social em que ele está inserido. Considerando que se trata de um curso com formação específica em Direito, será destacada a relação da dimensão política do conhecimento profissional e sua relação com a sociedade normatizada, regularizadas pela ordem política, legal e até mesmo cultural. Desta forma, ao ser dimensionado uma história do pensamento político com suas formas de governo, poderes, leis, teorias, etc., ao mesmo tempo terá como objetivo situar o indivíduo no universo político atual, dando assim, uma dimensão de historicidade para o seu exercício profissional; Além disso, buscar-se-á apresentar o pensamento dos principais filósofos ocidentais e sua contribuição para a formação do atual ordenamento jurídico e sua inserção com problemas jurídicos históricos e atuais, de níveis local, estadual, federal e internacional como forma de análise da contemporaneidade pelo prisma filosófico.

b)Estratégias:
Será utilizado o método expositivo; uso de fichas; uso de transparência; leitura dinâmica; discussão de texto; comentário de obras e autores. Produção de texto em conjunto e de forma individual.


Avaliação

(critérios, notas, pesos, procedimentos, instrumentos e periodicidade)
  1. A avaliação escrita bimestral será realizada após a discussão de autores elencados na bibliografia e que completem os objetivos e o programa. Constará da produção de texto de forma individual, onde o aluno fará uma aplicação dos princípios teóricos discutidos pelo(s) autor(es) em questão, e que deverá expressar clareza conceitual, articulação de conteúdos e coerência lógica na cadência da narrativa do texto, bem como a articulação com o objeto da avaliação. Para essa atividade, será atribuído valor de  0 a 100. Será aplicada 4 avaliações do decorrer do ano letivo, sendo duas no primeiro semestre.
  2. Além das avaliações escritas, poderão ser utilizadas outras formas de avaliação, como elaboração e apresentação de trabalhos, tanto na forma individual como em grupo.




Bibliografia básica

CASTILHO, Ricardo. Filosofia do Direito. São Paulo: Saraiva, 2012.
DROIT, Roger-Pol. Filosofia em cinco lições. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.
MORRISON, Wayne. Filosofia do Direito. Dos gregos ao pós-modernismo. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

Bibliografia complementar

AQUINO, Santo Tomas. A cidade de deus. São Paulo: abril Cultural, 1999.
BONAPARTE, Tony e Flaherty, John E. Peter Drucker: Filosofia e Métodos. São Paulo: Pioneira, 1992.
BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand, 1989.
            _____ . A economia das trocas lingüísticas. São Paulo: EDUSP, 1996.
CASSIRER, Ernst. Antropologia filosófica. São Paulo: Editora Mestre Jou, 1972.
CERTEAU, Michel de. A cultura no plural. São Paulo: Papirus, 1995.
CERTEAU. A invenção do cotidianoArtes de fazer. 2. ed. São Paulo: Vozes, 1994.
CHATELET, François e DUHAMEL, Olivier. História das idéias políticas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1997.
FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio de Janeiro: Nau Editores,                                                   1996.
FOUCAULT,  M. A Microfísica do poder. 10. ed..São Paulo: Editora da USP, 1992.
FOUCAULT,  M. As palavras e as coisas. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1992.
FOUCAULT,  M. Em defesa da sociedade. São Paulo: Martins fontes, 1999.
FOUCAULT,  M. A ordem do discurso. 4. ed. São Paulo: Loyola, 1998.
Habermas, Jürgen. Direito e Democracia Entre Facticidade e Validade Vol. 1 - Col. Biblioteca Tempo Universitário, 2008.
JOVILET, Régis. Vocabulário de filosofia. Agir Editora, 1974.
LÉVIS-STRAUSS. Claude. Minhas palavras.  2.ed. São Paulo: Brasiliense, 1991._
MACHADO, Roberto. Nietsche e a verdade. Rio de Janeiro: Rocco, 1984.__
MATOS, Olegária C.F. O Iluminismo visionário:Benjamin, leitor de Descartes e Kant.  São Paulo: Brasiliense, 1993.
MONDIN, Batista. Curso de Filosofia. São Paulo: Paulinas, 1997.
NIETZSCHE, F. A Gaia ciência. Lisboa: Guimarães Editores, 1987.
ORTIZ, Renato. Cultura e modernidade. São Paulo: Brasiliense, 1991.
SILIGMANN-SILVA. Márcio. Ler o livro do mundo. Walter Benjamim: romantismo e crítica literária. São Paulo: Editora Iluminuras Ltda, 1999.__


Data 17/08/2011.                                  _____________________________

Assinatura do docente proponente

Colegiado de Curso (aprovação)


Ata nº ........, de ......../......./.......

Coordenador de curso:                                                        _________________________
assinatura

Conselho de Centro (homologação)


Ata nº ........, de ......../......./.......

Diretor de Centro:                                                     _________________________
                                                                                                     assinatura

Encaminhada cópia à Secretaria Acadêmica em..............................................................
                                               __________________________________                                                                                                nome/assinatura