sábado, 16 de março de 2013

Discriminação e intolerância religiosa: o grande mal de nossa atual sociedade.

Por Celito De Bona

"Dominadores, vossa arrogância vos torna cruéis e sem piedade. Ela vos faz etnocêntricos, dogmáticos e fundamentalistas. Não percebeis que vos desumanizais a vós mesmos? Repara: onde chegais, fazeis vítimas de toda ordem por conta do caráter discriminador, proselitista e excludente de vossas atitudes e de vosso projeto cultural, religioso, político e econômico que impondes a todo mundo!”


Nestas palavras de James Aggrey, citadas por Leonardo Boff, em sua obra “A águia e a galinha”, percebemos, embora seu contexto histórico e geográfico tenha ocorrido ainda nos anos 20 do século passado, num movimento de libertação de Gana (então denominada de Costa do Ouro) do jugo opressor britânico, que ela se aplica, perfeitamente, à realidade contemporânea brasileira com a proliferação a passos largos da arrogância, discriminação e preconceito de raça, origem e opção sexual, por parte de alguns pastores evangélicos, como Silas Malafaia e Marco Feliciano, que não respeitam nossa Constituição Federal Cidadã de 1988 e tentam impor seus dogmas e fundamentalismos a toda uma nação (e ainda cobram por isso) sendo seguidos por muitos fiéis que não possuem nada na cabeça e são, sim, alienadamente imbecis, ao compartilharem seus pensamentos.


Atentemo-nos ao fato de que em nosso país o fudamentalismo religioso está aumentando cada vez mais e traz consigo a discriminação e a intolerância. Em nemhum momento histórico da civilização humana isto foi benéfico. Talvez isto seja até pior do que a própria corrupção. Ou tudo não é o reflexo da ausência de valores e princípios de nossa sociedade?
Postar um comentário