terça-feira, 23 de junho de 2015

Nossa greve e o bom combate

"Combater o bom combate" significa combater aquilo que nosso coração pede, aquilo em nome de nossos sonhos. Trata-se de um combate que, no final, é travado conosco mesmo, em que buscamos o que há de melhor em nós, superando nossos medos e angústias, e, finalmente, nos tornando melhores. A vida exige isto de nós. Esta greve foi a oportunidade que muitos de nós tiveram para lutar este bom combate. Alguns se tornaram melhores. Outros não. Para alguns, a greve foi apenas a suspensão das aulas. Para outros foi a oportunidade deste crescimento interior. Não tenho dúvidas de que nesta greve tive bons e maus momentos. A alguns devo pedir desculpas. A outros, como minha família, amigos e alguns alunos, tenho que agradecer pelo apoio e paciência.
A união e a aproximação com professores da nossa UNIOESTE e outras instituições nos deu a certeza de que sonhos podem ser compartilhados, nos tornou melhores e mais fortes. Aos amigos do comando de greve, a gratidão por combater este bom combate ao seu lado. Entramos na segunda fase da greve de 2015 objetivando o reajuste de 8,17%, mas saímos com uma conquista muito maior e que não esperávamos encontrar: uma incrível força em nós mesmos.
E aqueles que acreditam que esta greve não serviu para nada, simplesmente não aproveitou a oportunidade que ela forneceu. Mas a vida lhes reserva estas lições num futuro talvez próximo. A cada um com o seu tempo de evolução.
Postar um comentário